Um relatório divulgado esta quinta-feira pela Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura, UNESCO, mostrou que 617 milhões de crianças e adolescentes não estão atingindo os padrões mínimos de leitura e no aprendizado de matemática.

Segundo a UNESCO, essa “crise de aprendizado” pode colocar em risco o Objetivo de Desenvolvimento Sustentável 4. Ele prevê que até 2030 todas as crianças e adolescentes no mundo concluam o ensino primário e secundário.

O mais surpreendente do relatório é que mais de 65% desses menores estão frequentando uma escola. A região da África Subsaariana é a que registra os índices mais altos de crianças que não estão aprendendo corretamente.

O relatório da agência da ONU mostrou que as três principais causas para o resultado são: falta de acesso, fracasso em manter as crianças na escola e também de implementar o processo de aprendizado e, por último, a questão da qualidade do ensino nas salas de aula.

Um outro relatório lançado nesta quinta-feira, mas desta vez pelo Fundo da ONU para a Infância, UNICEF, revelou que apenas 15 países têm as três políticas nacionais consideradas essenciais para dar apoio às famílias com bebês ou crianças.

Portugal, Cuba, França, Rússia e Suécia estão entre os países que implementaram essas políticas, que são: bolsa gratuita de dois anos para que as crianças possam ter educação pré-primária; período pago para que as mães que trabalham possam amamentar seus bebês nos primeiros seis meses de vida e seis meses de licença maternidade e quatro semanas de licença paternidade.

O UNICEF diz que 85 milhões de crianças menores de cinco anos, estão crescendo em 32 países que não têm nenhuma dessas políticas. Mais de 40% delas vivem em apenas duas nações: Bangladesh e Estados Unidos.

Enquanto isso, neste terceiro dia de debates na 72ª sessão da Assembleia Geral, o Espaço VIP de Mídia Social da ONU recebeu o chefe do PMA, o Programa Mundial de Alimentos da ONU, David Beasley.

Ele explicou como a agência está levando comida a 80 milhões de pessoas necessitadas em todo o mundo. O vice-diretor-executivo da agência ONU Meio Ambiente, Ibrahim Thiaw, falou também sobre como a comunidade internacional deve combater a poluição das águas.

Foto: Elif Gulec/Equipe de Mídia Social da ONU

A advogada de direitos humanos, Amal Clooney, mulher do ator americano George Clooney, também esteve no Espaço VIP junto com a Embaixadora da Boa Vontade do UNODC, Nadia Murad.

Elas falaram sobre a resolução aprovada pelo Conselho de Segurança que abre caminho para que os terroristas do Daesh, denominação em árabe para o grupo Isil, sejam levados à justiça e paguem pelos crimes que cometeram.

Acompanhe a cobertura completa em português e imagens dos bastidores da #UNGA:

Notícias: radio.un.org/por
Facebook: facebook.com/onunewsport
Twitter: @onunews
Instagram: @nacoesunidas